S-Kart

 

Bem amigos, estamos de volta com novas dicas! 

E essas são mais avançadas: 

 

1) Como você provavelmente já sabe, os karts não têm diferencial tal como os carros. Eles têm um eixo traseiro rígido. Quando qualquer veículo de quatro rodas faz uma curva, as rodas do lado de dentro têm uma menor distância a percorrer, uma vez que elas estão seguindo um percurso de menor raio. A função do diferencial de um carro é permitir que as rodas interiores e exteriores façam a curva em velocidades diferentes (daí o nome diferencial) – as rodas de dentro trafegam mais lentamente que as do lado de fora da curva.

Uma vez que um kart tem um eixo traseiro rígido sem qualquer habilidade para compensar esta diferença na distância percorrida pelas rodas traseiras internas e externas, os pneus do lado de dentro se atritam com a pista. Pense nisto. Quando o kart percorre uma curva, enquanto o pneu externo estiver rolando ao longo da superfície da pista, o pneu interno estará sendo forçado a rodar mais rápido que o necessário para cobrir a distância

O resultado é quase o mesmo que pisar nos freios.

 

Então, lembre-se: virar o volante é uma coisa horrível, terrível para se fazer a um kart! Assim, mantenha as rodas dianteiras apontadas o mais reto possível e deixe o kart correr livre.

 

2) Muitos pilotos, principalmente quando começam a pilotar karts, usam o pedal do freio como um interruptor liga-desliga. Isso não significa que deva ser usado – e na verdade, abusado – dessa forma. O problema é que tais pilotos não têm o hábito de apertar o pedal com o seu pé esquerdo. A cura para esse problema, obviamente, é a prática - prática em apertar o pedal do freio com tanta suavidade quanto possível, para depois aliviar a pressão. Lembre-se: aperte e alivie os pedais, com suavidade!

Muitos pilotos também têm a tendência de tirar repentinamente o pé do pedal do freio assim que entram na curva e deixam o kart em “banguela” durante algum tempo antes de apertar no acelerador. Karts não gostam de andar em “banguela”. Quando você está em “banguela”, os kart ficam soltos como se estivessem no limite – ou além dele, mesmo que esteja bem abaixo do verdadeiro limite de velocidade. Na verdade, pisar no acelerador fará com que o kart tenha mais aderência à pista.

Assim a regra é sempre estar pisando ou no freio ou no acelerador. Se você não estiver pisando no freio ou no acelerador, você está em “banguela”. E não há nenhum lugar para “banguela” dentro das corridas. Desde que você tem dois pés e dois pedais para operar, você pode intercalar ou sobrepor os dois brevemente – por uma fração de segundo.

 

3) A maioria dos karts só tem freios no eixo traseiro. Se você pensar no que a freanagem pode fazer ao kart enquanto estiver fazendo uma curva com os freios sendo aplicados ao eixo traseiro, verá que deve fazer a maioria de suas frenagens enquanto estiver em linha reta, antes da curva. 

Se estiver frenando muito forte enquanto vira o volante para entrar numa curva, você pode fazer o kart rodar.

 

4) Com o freio no eixo traseiro, você deve pensar sobre a técnica de frear e acelerar: você estará utilizando o mesmo eixo pra frear e acelerar. Não é um contrasenso?

 

5) Lembre-se de que só se pode usar 100 por cento da tração dos pneus e nada mais que isso. Se estiver freando no limite enquanto faz a curva, há uma boa chance de que os pneus traseiros excedam esses 100 por cento (porque você estará pedindo mais tração do que eles podem dar), comecem a perder aderência e deslizem lateralmente – saindo de traseira (sobresterço).

 

6) Virando o Volante: Suas mãos devem estar colocadas confortavelmente sobre o volante numa posição onde sua mão esquerda esteja sobre o número 10 de um relógio e a direita sobre o número 2, com uma leve dobra nos cotovelos. Quando você virar o volante, a mão no lado de fora deve fazer a maior parte do esforço trabalho. Ao flexionar o volante, estará transferindo mais peso para o pneu dianteiro externo, facilitando a curva.

 

7) De modo geral, o peso de um piloto fica em torno de 30 a 50 por cento do peso total kart/piloto. Com o deslocamento deste peso, pode-se alterar a distribuição de peso do kart, melhorando a tração.

A ideia básica de deslocar seu peso é mover seu tronco para o lado de fora da curva, fazendo com que mais peso seja transferido para o pneu traseiro externo. Esta técnica necessita de um considerável treinamento de forma a adequar o tempo e o movimento corretos. Mas quando você conseguir fazer isso corretamente, essa técnica pode aumentar significativamente a aderência do kart em curvas.

Deslocando o peso para compensar a falta do diferencial

 

Próximas corridas

Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30